Pai Dedicado

Quando fizemos esta enquete com alguns pais não imaginávamos obter um resultado tão equilibrado quanto o que tivemos para as opções 2 e 3 que ficaram empatadas com 48% dos votos para cada opção, e apenas 4% para a opção 1.

Para falar sobre os temas abordados nas opções 2 e 3:  Respeito, amor e disciplina: ingredientes da relação afetiva “Pai e Filho”, e Como lidar com as interferências do cotidiano na relação “Pai e Filho”, respectivamente,  é importante incluir um outro tema que, sem dúvida, pode interferir consideravelmente nos resultados desejados de um pai em relação ao seu filho:  O tema “Pai Dedicado”.

Responda sinceramente, em qual tipo de comportamento paterno você se encaixa?

Autoritário: os pais autoritários são exigentes e não são compreensivos, ditam ordens e dificilmente são abertos ao diálogo. O estilo autoritário caracteriza-se pela imposição da obediência e do respeito pela autoridade.

Negligente: os pais negligentes não são exigentes e nem permissivos, eles simplesmente não estão interessados no papel de pai. Não se responsabiliza pela rotina do filho, o desempenho na escola, os seus horários, a sua alimentação, deixa sempre para a mãe ou outra pessoa determinar.

Permissivo: os pais permissivos são aqueles que permitem o filho fazer e ter tudo o que quiser. Não conseguem estabelecer limites, permitindo comportamentos inadequados causadores de problemas.

Espelho: os pais espelhos são aqueles que projetam nos filhos tudo que desejam, não conseguindo entender que o filho pode ser diferente dele.

Democrático: os pais democráticos caracterizam-se por serem muito tolerantes embora sejam exigentes face aos filhos. Encorajam-lhes a autonomia, ouvem-lhes as opiniões, mas não hesitam no caminho a seguir e não descuidam o cumprimento de regras. Geralmente são abertos ao diálogo, sabem ouvir e buscam estar presentes na vida dos filhos, orientando-os e educando-os.

Nunca é demais lembrar que estamos em uma era em que a sociedade está vivendo um extremismo de várias formas e intensidades, o que resultou em medos excessivos, agressões e intolerâncias; tudo isso ligado a um turbilhão de informações e conexões abertas em redes. Então, controlar o que o seu filho vê já não é uma tarefa fácil, é muito importante monitorar o seu acesso sim, sem dúvida, mesmo sendo uma tarefa difícil, mas é preciso desenvolver na criança o seu senso crítico, os seus filtros internos, e isso é tarefa que se inicia na família.

Antes de buscar ingredientes para a relação afetiva entre pai e filho, e antes mesmo de buscar saber lidar com as interferências do cotidiano nessa relação afetiva, verifique se está sendo um pai dedicado, presente, afetuoso e cuidador.

Mas o que é ser um pai cuidador, um pai dedicado?

O pai dedicado e cuidador possui o comportamento do pai democrático, ele sabe lidar com as emoções positivas e negativas do seu filho em todos os momentos; cria e fortalece o vínculo de confiança e respeito através do amor, da amizade e da cumplicidade, tornando-se a primeira referência em apoio e orientação para ele, através do diálogo e dos exemplos, com disciplina e valores éticos e morais. 

Dessa forma, independente das circunstâncias e interferências externas do cotidiano, cada vez mais ameaçadoras à vida e educação das crianças, o seu filho saberá que pode contar com você tendo-o como referência para a toda a vida.

Feliz e Dedicado Dia dos Pais!

 

Obrigada pela leitura.

Equipe Madrina

Madrina – Desenvolvimento Infantil e Parental